Capitu

Abertura para a microssérie Capitu, de Luiz Fernando Carvalho, baseada na obra Dom Casmurro de Machado de Assis, para a Rede Globo.


(video em HD: veja em tela cheia)

A natureza caótica e desarticulada do movimento dadaista e as peças de “descolagem” do artista plástico francês Jacques Villeglé serviram de paralelo para traduzir bem a estrutura de Dom Casmurro de Machado de Assis, uma das mais importantes obras da literatura brasileira.
A sobreposição de imagens sugere a passagem do tempo, a memória fragmentada, a experiência de vida; e o rasgar evoca a violência inerente do personagem principal, atormentado por suas dúvidas e desejo de vingança.
Pelas características operísticas e teatrais da adaptação de Luiz Fernando Carvalho, as animações que compõem a sequência de abertura e uma série de vinhetas para a minissérie, foram pré-produzidas inspiradas em cartazes com tipos móveis de madeira e obras do Dadaísmo, misturados a trechos da filmagem do diretor.
Cada “quadro” desta animação foi impresso em diferentes tipos, texturas e cores de papel, amassados e colados um a um.
Este bloco de papel foi então posicionado sob uma câmera de stop motion, iniciando o trabalho de rasgar e descascar as folhas, revelando gradualmente as camadas inferiores, como pode ser visto no Making Of abaixo.

Making of

Fotos do making of no flickr da Lobo.

Abaixo, algumas das mais de 100 cartelas animadas que foram incluidas na história:

Imagens

Prêmios, Indicações e Reconhecimento

exposição: Graphic Design—Now in Production: Smithsonian’s Cooper-Hewitt, National Design Museum, NY & Hammer Museum, LA, EUA, 2012
Menção “In Book” no D&AD 2009.
Destaque no anuário da Creative Review.
Destaque no Type Directors Club Movie Title Design 2010 e presente no livro TDC Typography 31.
Livro e DVD: Papercraft 2: Design and Art with Paper, Die-Gestalten Verlag, Alemanha, 2011
Revista Stash.

Criação e produção: Lobo
Direção criativa e animação: Carlos Bêla
Assistência de animação: Kel Moraes
Produção: João Tenório

Para saber mais, leia este texto no site Motionographer (em inglês).

Comments are closed.